Home  //  Recursos Artigos  //  Reflexão sobre Educação Cristã Missionária
Reflexão sobre Educação Cristã Missionária
PDF
Imprimir
E-mail

“DISTRIBUIDORA DE ÓLEO” Recentemente, li a biografia do Irmão Yun, um chinês que, apesar de grande perseguição e sofrimento em prisões não negou a sua fé. Numa de suas saídas da prisão, ele e a sua esposa, buscaram a orientação de Deus para o ministério.  Diz ele que depois de uma semana em jejum e oração, subitamente ouvi o Espírito Santo dizer: “Distribuidora de Óleo”. Os discípulos precisam estar com o óleo queimando em suas lâmpadas quando ele voltar. Ele nos mostrou que a maior necessidade desta geração é o óleo do Espírito Santo. Precisamos treinar obreiros capazes de levar a presença de Deus a todo lugar que forem. Foi a partir dessa revelação do Senhor, que ele iniciou o treinamento de novos obreiros para irem a outras regiões da China.


Na verdade, o que fazemos no CIEM e no SEC é “distribuição de óleo”. Essas duas Instituições da União Feminina Missionária Batista do Brasil não existem apenas por vontade das mulheres. Elas existem por vontade de Deus para preparar aqueles que estarão levando a Mensagem de Deus por onde vão.

Volto a afirmar, como já tenho feito em várias ocasiões, que O CIEM e o SEC são extensão da igreja local. A Educação Cristã Missionária começa na igreja. O cuidado para que a criança aprenda sobre missões é primordial para que cresça com a disposição de estar envolvida nesta obra seja na sua igreja ou aonde Deus a enviar quando crescer. Ficamos assustados com as possibilidades de desencaminhamento de nossos pré-adolescentes e adolescentes da vida cristã. Há tantas ofertas de destruição lenta do corpo e da vida de nossos jovens, que muitas vezes pensamos, que a igreja já não pode atraí-los ou mantê-los. A proposta do ensino e da prática missionária na igreja local pode revolucionar o mundo outra vez com a mensagem de Cristo.


Muitos ficarão em suas igrejas servindo ao Senhor. Mas, de todas as agências do Reino de Deus na terra ele tem separado alguns para tarefas específicas em outros lugares. Estes também necessitam serem apoiados pela igreja local desde o momento em que sentem o chamado. A igreja deve ajudá-los na confirmação desse chamado. Oportunidades de serviço devem ser oferecidas para que esses irmãos possam começar ou continuar a desenvolver seus dons e talentos. A igreja deve orientá-los sobre as possibilidades de preparo de acordo com o seu chamado específico.

A igreja também deve sustentá-los durante o seu preparo, e quando possível, continuar dando oportunidades para o seu aperfeiçoamento. E, quando esses vocacionados deixam a igreja local, esta deve acompanhá-los com o seu apoio espiritual.

Gostaria de esclarecer que para Deus não há idade para o chamado: Ele pode chamar uma criança, um jovem, um adulto ou um ancião para ser usado pelo seu poder para realizar a Sua obra. É só obedecer!

O preparo é algo que deve ser decidido através de oração e comunhão com Deus. Não basta apenas olhar o currículo, o custo do ensino ou a facilidade de locomoção. Para se ter um bom preparo, os vocacionados devem antes de tudo, consultar o Senhor para serem encaminhados para o lugar certo.

Este é o mês em que retiramos uma oferta que irá completar o orçamento financeiro do CIEM e do SEC. Se o alvo não é alcançado, o orçamento fica incompleto acarretando dificuldades para as Instituições. Mesmo assim, entendemos que esta é uma oportunidade ímpar de todos participarem no preparo dos obreiros de Deus. E, por esta razão, continuamos a estimular a todos na contribuição de suas ofertas alçadas ao Senhor.

Este também é um tempo de agradecer ao Senhor pelo chamado que todos nós recebemos, como servos de Deus, de sermos testemunhas de seu grande amor.

Divulgue, ore e contribua. Clique aqui e baixe o cartaz promocional.


Maria Bernadete da Silva
Diretora Executiva do CIEM

Arquivo Visão Missionária 2T07

Compartilhe

 

Organizações Missionárias