Home  //  Recursos Artigos  //  Resiliência: Você sabe o que isso quer dizer?
Resiliência: Você sabe o que isso quer dizer?
PDF
Imprimir
E-mail

É possível que você nunca tenha ouvido falar em resiliência, afinal a palavra é mesmo desconhecida – e seu conceito, ainda pouco estudado pela medicina. No entanto, todo mundo sabe muito bem o que ela quer dizer. Basta pensar em como algumas pessoas conseguem reunir forças para dar a chamada volta por cima nas adversidades da vida, enquanto outras demoram mais tempo ou simplesmente nunca encontram a superação dos problemas. Não foi assim com José, um dos 12 filhos de Jacó? E com Moisés?


A maneira peculiar de Moisés resistir às privações durante a travessia do deserto em direção à Canaã é lembrada até hoje como a “força milagrosa” que preservou a vida de todo um povo. Depois, ele foi sucedido por outro “resiliente”, Josué, que comandou Israel até a conquista de Canaã.

Há mais de quarenta anos, a ciência tem-se interrogado sobre o fato de que certas pessoas têm a capacidade de superar as piores situações, enquanto outras ficam presas nas malhas da infelicidade e da angústia que se abateram sobre elas como numa rede engodada. Por que certos indivíduos são capazes de se levantar após um grande trauma e outros permanecem no chamado fundo do poço.


As experiências e estudos feitos têm mostrado algumas explicações científicas sobre esse fato. A biologia defende o ponto de vista de que cada ser humano é dotado de um potencial genético que o faz mais resistente que outros. A psicologia, por sua vez, dá realce às relações familiares, sobretudo na infância. Essa base construirá na personalidade a capacidade de suportar certas crises e de superá-las. A sociologia vai fazer referência à influência da sociedade e das tradições como construtores dessa capacidade do individuo de suplantar as adversidades.


Mas foi o cotidiano das pessoas que passam por traumas, que realmente atravessam o vale das sombras, o que realmente atraiu a curiosidade de cientistas do mundo inteiro. Não são personagens de ficção que se erguem após a grande queda; são homens, mulheres, crianças, velhos, o individuo comum do mundo que retoma sua vida após a morte de um filho, a perda de uma parte de seu corpo, a perda do emprego, doenças graves, físicas ou psíquicas, em si mesmo ou em alguém da família, razões suficientes para levar um indivíduo ao caos.

A resiliência é um termo oriundo da física. Trata-se da capacidade dos materiais de resistirem aos choques. Esse termo passou a ser aplicado às ciências humanas e hoje representa a capacidade de um ser humano de sobreviver a um trauma, a resistência do indivíduo face às adversidades, não somente guiada por uma resistência física, mas pela visão positiva de reconstruir sua vida, a despeito de um entorno negativo, do estresse, das contrições sociais, que influenciam negativamente para seu retorno à vida. Assim, um dos fatores de resiliência é a capacidade do indivíduo de garantir sua integridade, mesmo nos momentos mais críticos.


Não se é resiliente sozinho, embora a resiliência seja íntima e pessoal. Um dos fatores que contribui para o seu desabrochar é o apoio e o acolhimento recebidos durante uma doença na família, por exemplo. Isso é essencial para o salto qualitativo que se dá.  Pesquisas recentes, aliás, comprovam que a habilidade de resistir e contornar crises pode ser treinada e estimulada. A resiliência é, na verdade, o resultado de intervenções de apoio, de otimismo, de dedicação e amor, numa personalidade resistente. E as igrejas contam com as ferramentas para desenvolver esse talento.

Thereza Christina Jorge, jornalista

Arquivo Visão Missionária

Compartilhe

 

Organizações Missionárias